sexta-feira, 14 de outubro de 2011

CENTRO CULTURAL CORREIOS APRESENTA:

"VIOLINOS DE CARTOLA TOCAM NELSON CAVAQUINHO"

Orquestra de Violinos do Centro Cultural Cartola - participação: Janaina Reis e Emílio Santiago

No próximo dia 25/10,   às 18h30, a Orquestra de Violinos do Centro Cultural Cartola estará no Centro   Cultural Correios   com o espetáculo   "Violinos de Cartola tocam Nelson   Cavaquinho". O show,  que contarará com as participações especiais dos cantores Emílio Santiago e Janaína Reis,  faz parte das comemorações pelo centenário do mestre mangueirense, que  completaria 100 anos em outubro. Aliás, no dia 28/10, data do nascimento do compositor, a   Orquestra formada por crianças e adolescentes, irá bisar "VIOLINOS DE CARTOLA TOCAM NELSON   CAVAQUINHO", na Mangueira, também no horário das 18h30. A entrada será franca, mas os   convites deverão ser solicitados  pelo email: cartola@cartola.org.br..ou   ou pelo telefone do Centro Cultural Cartola: 21 -   3234.5777. O endereço do Centro Cultural Correios é Rua Visconde de Itaboraí, 20 - Centro - Rio de Janeiro - Telefone: 21 2253-1580.
Essas apresentações são apenas parcelas de um projeto que inclui muitos outros   ítens, tais como aulas e palestras sobre a vida e a obra do compositor.

Resumo dos projetos:

PROJETO: "VIOLINOS DE CARTOLA TOCAM NELSON   CAVAQUINHO"
Patrocínio: CORREIOS // Realização: CENTRO CULTURAL CARTOLA

A iniciativa do Centro Cultural Cartola de efetuar pesquisa e orquestrações de músicas de Nelson Cavaquinho e de outros  compositores, ademais de cumprir sua missão como núcleo de resgate e  de referência do samba, se insere no conjunto de esforços que a instituição vem cumprindo, desde a sua fundação, em 2001, no sentido de contribuir para os processos de iniciação musical de qualidade e de   formação de plateias e difusão da memória do Samba   Carioca.

 Qual o diferencial desse projeto?  

O projeto “Violinos de Cartola Tocam Nelson   Cavaquinho” tem seu diferencial na convergência de duas vertentes   da manifestação da cultura musical brasileira: de um lado, a tradição de uma   das mais significativas agremiações de samba da cidade do Rio de Janeiro, a   Estação Primeira de Mangueira, e, de outro, a especificidade   técnica e de qualidade da formação orquestral.

Portanto, acrescenta-se à particularidade deste   projeto o seu caráter socioeducativo e o seu potencial de inclusão   cultural através da arte, sobretudo por envolver crianças,   adolescentes e jovens de comunidades em geral sem acesso às diversas   manifestações da expressão e do patrimônio cultural de nossa   sociedade.

Metodologia:
·           Aulas com palestras sobre vida e obra do   compositor
·           Aulas de educação musical com repertório do compositor  
·           Culminância: Apresentação no Centro Cultural   dos Correios dia 25 de  outubro, e no dia 28 de   outubro, na Mangueira (ambos às 18h30), seguido de concertos   didáticos no Centro Cultural Cartola para escolas municipais e estaduais   precedido de palestras.


BREVE   HISTÓRICO - ORQUESTRA DE VIOLINOS DO CCC

A Orquestra de Violinos Cartola   Petrobras é formada por crianças, adolescentes e jovens das   comunidades da Mangueira e adjacências. Iniciado há cinco   anos, este projeto integra o programa de inclusão social através da   arte e de resgate da cidadania desenvolvido pelo Centro Cultural   Cartola e  é patrocinado pela Petrobras. 

Contando hoje com cerca   de oitenta participantes, com idades entre 7 e 15 anos, a   iniciativa tem por principais objetivos a promoção da identidade cultural, a   orientação artística, a educação do gosto, o desenvolvimento de novos talentos   e a formação de plateias, incluindo em seu repertório desde obras tradicionais   para orquestra e peças especialmente escritas até o samba e outras   manifestações da música popular brasileira. A Orquestra de   Violinos do Centro Cultural Cartola realiza apresentações   recorrentes por solicitação de diversos proponentes e parceiros em diferentes   espaços e ocasiões, permitindo aos seus integrantes a oportunidade de   vivenciarem a experiência orquestral.em sua plenitude, não apenas do ponto de   vista técnico, mas, também, em seu relaciomento com o público em distintas   circunstâncias.