segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A solidão e a poesia

-Autor: Mauro César Bandeira-

Todo poeta é triste
Todo poeta se decepcionou na vida
Não tivera nenhuma chance

Todo poeta morreu esquecido
Todas as poesias remetem à solidão
Ao vazio d'alma

O poeta deveras ser um oprimido
Acorrentado por correntes invisíveis
Nossos corações se entristecem

Escrever um poema é um não escrever
Um não dizer e um não esquecer

A vida chicoteia os poetas
Agridem a sua própria'lma

Ser um poeta

É morrer a cada dia
Não ter amigos nem pais ou irmãos

E a cada dia sofrer mais que a humanidade
E morrer a cada instante

Ter incontáveis leitores
E não ter vivido bem
Não ter tido uma vida

E morrer a cada instante
Em todos os segundos

E não estar nesse mundo
Assim a solidão e a poesia
Se entremeiam

Da qual o poeta agora tenta se afastar

A poesia assim se finda


Bocage e as Ninfas

Nenhum comentário: