sábado, 26 de novembro de 2011

Aldo Moraes

Para o bem da memória cultural do Brasil, o baixo custo das novas tecnologias tem possibilitado uma enorme quantidade de filmes e documentários sobre as mais diversas personalidades e movimentos do país. Pela qualidade e grande circulação destes filmes, alguns como "Coração Vagabundo" (que ilustra um momento de Caetano Veloso); "O pequeno burguês, Filosofia de Vida" (sobre Martinho da Vila) e "Herbert (Vianna) de perto" ganharam dimensão de produtos culturais com grande visibilidade no mercado.

Há também o docu-drama Poeta da Vila sobre os 27 anos de vida e as obras primas de Noel Rosa. Isto faz um bem enorme para nossa cultura. E há os filmes sobre artes plásticas, teatro e literatura.

Assisti esta semana "Rock Brasília, a era de ouro", dirigido pelo competente Wladimir Carvalho, que sabiamente mescla depoimentos antigos e recentes com imagens de arquivo sobre as bandas de Brasília, sem esquecer do contexto geral em que se deu o rock nacional dos anos 80. Todos esses trabalhos recentes, que vão da música erudita de João Carlos Martins e Nelson Freire ao coco nordestino, passando pela MPB e rock e que em outras áreas envolvem Bispo do Rosário e Vik Muniz, por exemplo, são fundamentais para nossa reflexão histórica e cultural e para que a juventude tenha acesso à memória através de produções qualificadas.

Aldo Moraes é músico

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela reflexão!!
Abraço do poeta Carlos Moura

Anônimo disse...

Muito bom texto
Sempre acompanho artigos e poemas de Aldo Moraes
Viviane Gomes