segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Cidade Cinza

Qual a diferença entre pichação e grafite? Arte e subversão? Degradação e inovação? O documentário Cidade Cinza traz à tona a constatação de que a Administração do Município de São Paulo (e talvez a maioria das cidades brasileiras) não tem o menor traquejo para lidar com essas questões, chegando ao ponto de delegar a funcionários terceirizados o critério subjetivo de encobrir de tinta cinza os desenhos espalhados pelos muros da cidade. “Esse aqui não é grafite, mas aquele ali está bonitinho, pode deixar”, avalia o funcionário encarregado de aplicar o “corretivo” cinzento. Trata-se de um retrato que nos remete a dimensões maiores, afinal o planejamento inadequado ou até mesmo a falta de qualquer planejamento das administrações públicas já há muito tempo constitui fator decisivo nas consequências referentes às mazelas urbanas, tais como o péssimo transporte público, o trânsito infernal, violência, educação falida. Portanto, a maior virtude de Cidade Cinza é deixar evidente a importância crucial do planejamento urbano e do diálogo necessário entre administradores e cidadãos.