segunda-feira, 17 de março de 2014

Estapafúrdia (Nem tudo que reluz é nobreza)

Escrita por Adriano Veríssimo e encenada pela Cia Teatro Metrópole, a peça fala de ambição, sexualidade, família, ostentação e poder de forma leve e divertida. Num povoado distante chamado Ecimól, a Rainha Norma dá a luz ao seu segundo filho, Henrique. Quando percebe que o pequeno príncipe se tornara a cada dia mais feio e sua aparência cada vez mais horrenda, decide então jogá-lo do alto do Monte Sdrúbal. O que ela não imaginara é que em uma grande festa dada pela Rainha Simone, sua grande rival, uma grande surpresa lhe aguardara. Henrique sobreviveu à queda e tornou-se um grande artesão, e pretende se vingar dela neste momento.

Baseada levemente nos mitos gregos de Hefesto e Narciso com enredos contemporâneos e cômicos, a peça aborda temas da atualidade, como a beleza humana, respeito ao próximo e valores universais presentes em nosso cotidiano. O cenário foi concebido no conceito da fragmentação, com elementos cênicos construídos com retalhos de madeira. Ele reforça a multiplicidade das faces, das personalidades presentes no texto e destaca o trabalho artesanal, que é a marca de um dos principais personagens, Henrique. O figurino segue a linguagem concebida na dramaturgia do espetáculo, tendo assim uma releitura da idade média, adaptado a características de personalidade e do "tipo" de cada personagem. Coturnos, sapatilhas e devidos adereços completam cada figurino, que foram devidamente pensados com tons e caimentos rústicos, com desgastes feitos simbolizando reinos decadentes e antiquados.

SERVIÇO

O QUE: Estapafúrdia (Nem tudo o que reluz é nobreza)
ONDE: Teatro Commune – Rua da Consolação, 1218 – São Paulo – SP – 11 3476-0792
QUANDO: de 12 de março a 01 de maio, quartas e quintas, às 21h
QUANTO: R$ 40,00 (Inteira) e R$ 20,00 (Meia entrada)
PARA QUEM: Indicado para quem quiser dar boas risadas, independente da idade

Nenhum comentário: